quinta-feira, 3 de junho de 2010

Supermercado no feriado



Quando quiser pagar seus pecados dessa encarnação, da passada e da próxima, vá fazer compras de supermercado num feriado.

Primeira penitência, encontrar uma vaga pra estacionar. Leva vinte minutos no mínimo, de preferência lá no fim do estacionamento e no sol.
Segunda penitência, materializar um carrinho, pois não tem mais nenhum disponível.

Daí você entra, encosta o carrinho num cantinho para não atrapalhar a passagem. A loja está lotada, leis de trânsito também funcionam em corredores abarrotados de gente. Pena que a grande maioria não dirige um carrinho como dirige um carro na rua. Sempre achei que devia ter mão e contra mão em corredor de supermercado, faixas no chão indicando o sentido a ser trafegado, seria o céu. E as placas de proibido estacionar no meio do corredor!!!!!!

A moça que fala ao microfone das ofertas do dia, também poderia dizer:
- Senhoras, não parem pra conversar no meio do corredor com seus carrinhos atravessados. Encostem num local apropriado como a cafeteria, a fila do açougue e do pão. Obrigada!

- Crianças estão proibidas de empurrar carrinho de compras em alta velocidade, dar cavalo de pau, imitar o som de freada de pneu. Senhores pais, assumam a direção do seu carrinho e algemem as crianças na barra de empurrar do mesmo. A chave das algemas se encontra com o segurança na saída. Obrigada!

- É expressamente proibido circular com ou sem carrinho na área destinada às filas dos caixas. Quem está na fila, não tem obrigação de se deslocar para você passar no meio, enquanto faz compra. Use os corredores internos, fila não é corredor, entendeu, ou quer que desenhe?

- Pedimos a gentileza de usarem as duas mãos para esvaziar o carrinho e colocar os produtos na esteira do caixa. Seja rápido, largue a bolsa no ombro, não atenda celular, tem mais gente atrás de você com pressa. Helloooo!

- Não abandone seu carrinho no meio do corredor, atrapalha a passagem. Encoste-o ao lado da gôndola. #*&%

- É proibido guardar lugar na fila e quando chegar a sua vez, aparecer o carrinho com 752 ítens para passar pelo caixa. Quem estiver atrás de você vai xingar muito e com razão!
Agradecemos a preferência e volte sempre (sem as crianças) !

Quem nunca passou por isso que atire a primeira sacolinha.

11 comentários:

  1. Vera:
    Ai, ai, ai! Amanhã é dia de supermercado! Apesar de não ser mais feriado, vou me lembrar de tudo o que você tão bem descreveu. Ai!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Maria Teresa, preencha a ficha de críticas e sugestões na saída com o post acima, quem sabe funciona.....kkkkkkkkkkkkkkkk

    Boas compras.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Vera,

    Já reparei que você tem muita perícia na descrição de ambientes. E o faz tão bem, que o leitor (se estiver atento), pode até ver a cena, ouvir a moça do microfone, e os protestos das crianças algemadas(não acredito).

    Tudo isto para dizer que gostei imenso de visitar o supermercado no feriado.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkk....ontem mesmo eu passei por isso. Pior, qdo chegou minha vez de pagar com a minha humilde cestinha na fila rápida, a mulher da frente disse que tava guardando lugar pra uma outra que chegou com um carrinho lotado. Eu mereço! O gerente teve que ser chamado. aBusados!

    ResponderExcluir
  5. Byanca, é pra matar né?
    Acho uma falta de respeito, guardar lugar na fila. Você ficou um tempo esperando sua vez, a pessoa que chegou depois pra pegar o lugar guardado por outro não. É injusto, sem falar na quantidade de produtos no carrinho.
    Vc agiu certo chamando o gerente, parabéns!

    Bjs


    Joseph, é o meu senso de observação, nada escapa aos olhos. Eu devia ser detetive ou trabalhar para a CIA, FBI.....kkkkkkkk
    Por outro lado, tive que ler duas vezes sua última frase, para entender o que quis dizer: Gostou de visitar o post e não um supermercado no feriado.....rss

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Ah! Faltou explicar o por que desse post:
    Fui ao supermercado no feriado, encostei o carrinho numa gôndola e coloquei um sabonete dentro pra sinalizar que tinha dono. Me virei para procurar tinta de cabelo, fiquei uns 20 minutos de costas, qdo olhei...
    Cadê o carrinho???? Sumiu, roubaram com sabonete e tudo. Fiquei tão brava que fui embora sem comprar nada....hunf

    ResponderExcluir
  7. Sem crianças!!!!!!
    Já reparou o showzinho que elas dão quando não têm suas vontades satisfeitas?
    Querem porque querem, e se não damos, se jogam no chão, esperneiam, ficam vermelhas, se batem, batem na gente, falam nomes feios; é mimo demais.
    Acho mais, que deveria ser previsto em lei ter um lugar ao lado do fraldário com paumatórias a disposição dos pais. rsrs
    Mas o tiro e queda mesmo é deixa esperniar, até por os bofes pra fora, uma hora cansa e até dorme.
    Como diz a minha querida maezinha "não digo que eu sou mole mesmo."
    beijo Vera e bom fim de semana,
    Amanda.

    ResponderExcluir
  8. Amanda, outro dia vi na TV não lembro o programa.
    A mãe ensinava a criança a não pedir o que não podia pagar. Ela questionava: - Já temos isso em casa? Precisamos?
    A criança respondia e a mãe não levava bobagens pra casa numa boa. Achei muito legal e sensato.

    Bom fim de semana, Amanda.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. É Vera, acho mesmo que você tem razão. Às vezes nós educadores ou responsáveis deixamos passar muitas coisas em branco que desagradam ou descordamos e depois cobramos por elas. Não atentamos que para que se saiba é preciso ensinar.
    Porém acho que me estava me referindo, especificamente, àquelas coisas que pessoas de poder aquistivo mais baixo não podem buscar. Fazer entender dá um pouco de trabalho. Mas pode mesmo ser ensinado.
    Beijo,
    Amanda

    ResponderExcluir
  10. Lembrei do programa, era sobre economia doméstica, até as crianças entravam na dança.
    Assim sabiam pq a mãe não ia comprar tal produto e refletiam antes de colocar algo no carrinho. Pareciam gente grande, uma graça.......rss

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Num feriado, desci até a praia com a família. Sábado a tarde fui ao mercado (lotado), comprei o que precisava e fui para a fila. Uma mulher de braços cruzados na minha frente sem carrinho. Seu marido estava na fila ao lado com um carrinho transbordando de compras. Então, ele resolve vir para a minha fila alegando que estava melhor... torci o bico, mas não falei nada! De repente, a fila que ele estava ficou melhor... ele voltou para ela. Relaxei! A minha fila ficou melhor, aí o sujeito voltou a minha frente.
    Eu disse: "Depois reclamamos que o país está cheio de aproveitadores, quando nós mesmos não damos exemplo".
    O homem começou a falar besteira!

    Eu disse: "Se você acha justo fazer zig zag nas filas desconsiderando as pessoas que estão aqui como você, pode ficar aqui na minha frente".

    Algumas pessoas no mercado, de forma sucinta, vaiaram ele.

    Ele voltou para a sua fila inicial reclamando sem para... kkkkkkkkkk

    Mau educado!

    ResponderExcluir

Passo-lhe a palavra.